4 erros de fluxo de caixa que todo arquiteto precisa evitar

blog

Um dos maiores desafios de ser empreendedor é lidar com as finanças, já que nem sempre é possível ter certeza do quanto irá entrar ou sair do caixa todo mês. Por isso, é muito importante que o controle do fluxo de caixa do seu negócio seja feito com muito cuidado e atenção.

Realizando-o de forma criteriosa e detalhada, o arquiteto passa a dispor de informações que o ajudarão a ter uma perspectiva melhor do quanto precisa ser guardado para as eventuais baixas que ocorrem no mercado, além de programar seus investimentos visando o crescimento do negócio.

Para manter a saúde financeira do seu negócio e não passar apertos, continue a leitura e confira a lista dos 4 erros de fluxo de caixa que todo arquiteto precisa evitar!

1. Não atualizar o fluxo de caixa diariamente

Um dos erros mais comuns e que pode ser bem problemático para qualquer empreendedor é não atualizar o fluxo de caixa diariamente.

Fazer essa atualização apenas uma vez por semana, a cada quinze dias ou uma vez por mês pode até parecer mais fácil, porém acaba afetando a credibilidade das suas informações — isso sem falar que você pode deixar algumas coisas passarem despercebidas.

É importante que os registros do fluxo de caixa do seu escritório de arquitetura sejam bem precisos, pois isso lhe ajudará a planejar o futuro do seu negócio com muito mais segurança.

Além disso, essa atualização constante também permite que os riscos e problemas sejam detectados com maior antecedência, dando-lhe tempo hábil para tomar uma atitude e evitar que o seu negócio acabe sofrendo graves consequências.

Hoje em dia, existem muitas ferramentas quem podem te ajudar a fazer esse controle com facilidade. Você pode usar desde as planilhas simples do Excel até softwares mais modernos e completos.

2. Confundir as finanças pessoais com as finanças da empresa

Esse é um erro que muitos empreendedores acabam cometendo, principalmente no início da carreira.

É fundamental compreender que o caixa da empresa não é uma conta bancária pessoal sua que está ali sempre disponível para saques na hora em que você precisar. Para evitar esse erro, estabeleça um valor fixo para o seu pró labore e inclua-o no planejamento do fluxo de caixa mensal.

Isso irá evitar que você fique retirando dinheiro constantemente e acabe causando perdas e prejuízos para o seu negócio.

3. Não ter organização com as finanças

Para que você possa fazer um controle preciso do fluxo de caixa do seu negócio, é muito importante que as finanças estejam devidamente organizadas.

Para isso, é preciso categorizá-las, separar as entradas e as saídas previstas das que já foram realizadas, os custos fixos dos custos variáveis, e por aí vai.

É importante distinguir itens como tributos, impostos, pró labore, funcionários, investimento, enfim: controlar cada centavo que é pago e que é recebido.

4. Contar com dinheiro que ainda não entrou

Imagine a seguinte situação: você trabalha em um projeto cujo pagamento será parcelado em cinco vezes, com a primeira parcela programada para dali a trinta dias. Isso significa que apenas uma parcela daquele valor será recebida em trinta dias, não o montante total do projeto, certo?

Muitos empreendedores acabam contando com esse dinheiro e gastando antecipadamente antes de receber, sem se darem conta de que podem acontecer imprevistos — como atraso do pagamento, por exemplo. Jamais faça isso!

Agora que você já sabe quais erros evitar ao realizar seu fluxo de caixa, aproveite para conferir também as 6 características do arquiteto empreendedor. Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *