Empresa ou trabalho autônomo: saiba quais impostos um arquiteto deve pagar

Quais imposto pagar

Está em dúvida sobre abrir uma empresa ou trabalhar por conta própria? Em ambos os casos, você pode se deparar com outros tipos de questões, como quais impostos pagar.

Para te ajudar a decidir por abrir um escritório de arquitetura ou se tornar um profissional autônomo, compilamos aqui todas as informações de impostos devidos. Confira!

Impostos que empresas devem pagar

Para uma empresa estar em dia com o governo e poder funcionar legalmente, há uma série de impostos que ela deve pagar, com algumas diferenças para grandes, micro e pequenas empresas. Confira a diferença entre elas a seguir.

Grandes empresas

Se adequam à categoria de grandes empresas as que têm faturamento bruto anual maior que 3,6 milhões de reais e os impostos são cobrados baseados no lucro real.

Toda empresa grande precisa pagar os impostos diretos, que são aqueles que incidem diretamente sobre o lucro da atividade. Entre eles, temos o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), em que a taxa da alíquota varia de 15% a 25%.

A empresa pode escolher entre o lucro real, que possibilita a diminuição de gastos, e o lucro presumido, que é calculado sobre uma porcentagem do lucro bruto. Há ainda a Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), cuja taxa é de 9%. Os impostos são averiguados anualmente ou trimestralmente.

Já os impostos indiretos são a Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição Social sobre o Faturamento (Cofins) de taxas 9,25% e 3,65%, respectivamente, averiguados mensalmente sobre o faturamento.

Há ainda o Imposto Sobre Serviços (ISS), em que a porcentagem varia de acordo com as leis do município em que o estabelecimento está localizado.

Além desses impostos, as empresas devem pagar outros encargos, como Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) de todos os funcionários.

Micro e pequenas empresas

Se encaixam na categoria de microempresas as que possuem o faturamento bruto anual de até 360 mil reais, e de pequenas empresas as de faturamento superior a 360 mil até 3,6 milhões de reais. Para essa categoria, existem duas opções de taxação: o lucro presumido e o supersimples.

Lucro Presumido

A quantia taxada é definida baseada na receita bruta, pela aplicação de taxas que variam conforme a atividade que gera o lucro.

No mais, os impostos que devem ser pagos por uma pequena ou microempresa são iguais aos das grandes empresas, como: IRPJ, CSLL, PIS/Cofins, ISS, INSS e FGTS.

Super Simples

Também conhecido como Simples Nacional, é um regime tributário diferente, que resulta no recolhimento mensal através de um documento único de cobrança do IRPJ, CSLL, PIS/Cofins, IPI, INSS, ICMS, ISS.

A categoria de arquitetura e urbanismo está na tabela 6 do Super Simples, o que implica taxas de 16,93% a 22,45% em função da receita.

Trabalhadores autônomos também devem pagar impostos, mas quais?

Arquitetos e urbanistas autônomos precisam pagar basicamente três impostos: ISS, IRPF e INSS. O Imposto Sobre Serviços (ISS) é regulamentado pelo município, sendo que, em alguns, é cobrado a cada emissão de RPA (Recibo de Pagamento Autônomo) e, em outros, é realizado uma vez por ano.

O Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) varia de uma faixa de isentos, podendo ser de 15% até 27,5% do ganho mensal do profissional. E o INSS é calculado em função do valor de recebimento e das faixas de contribuição.

Além disso, arquitetos e urbanistas fazem parte de uma classe que precisa pagar uma contribuição sindical para o órgão representativo, no caso o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU).

Esperamos que essas informações tenham ajudado você quanto aos impostos devidos e à decisão de qual caminho seguir. Se você gostou do post, não deixe de conferir quais são as 6 características do arquiteto empreendedor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *