Guia prático dos tipos de piso: como escolher o ideal?

Guia pratico dos pisos blog

Na hora de construir ou reformar um ambiente, sempre surgem algumas dúvidas — e uma das principais delas diz respeito à escolha do piso ideal. O projeto pode ter pisos diferentes para cada ambiente, mas todos têm só um objetivo: a busca pela sofisticação ou praticidade.

Nessa hora, o importante é ter em mente as vantagens e desvantagens de cada material: enquanto alguns servem para aquecer, outros servem para esfriar, uns são mais práticos, outros mais refinados.

Quer uma mãozinha para não errar na escolha? Então veja agora quais são os principais tipos de piso e suas características:

Mármore

O mármore é derivado de um mineral nobre e tem aparência extremamente elegante. Possui diversas padronagens, neutras e coloridas. Portanto, pode ser combinado com qualquer decoração e ser usado dentro e fora de casa. Quando polido, deixa suas cores ainda mais evidentes.

É recomendado, principalmente, para locais de clima tropical, pois é um tipo de piso frio, que diminui a sensação de calor. Mas pode ser usado nas regiões frias também, associado a um piso térmico.

É bastante durável, mas recomenda-se que seja impermeabilizado e limpo com água e sabão neutro para evitar manchas, já que é um material poroso e, por isso, absorvente.

Porcelanato

Outro entre os tipos de piso frio, o porcelanato pode ser usado em diversos ambientes. Há uma grande diversidade de padronagens, por isso, é preciso escolher com cautela. Os brancos e muito claros, por exemplo, chamam atenção para qualquer sujeirinha ou fio de cabelo.

Há os polidos e os não polidos. O primeiro pode derrapar, então não é indicado para banheiros e garagens, por exemplo. Os não polidos, ao contrário, são comuns em banheiros e cozinhas, pois são de fácil manutenção e bastante resistentes.

Madeira

A principal função do piso de madeira é esquentar o ambiente. Isso pode ser uma vantagem ou uma desvantagem — depende do objetivo. Ele é ideal para quartos e salas, pois dá uma sensação aconchegante e permite que se ande descalço até nos dias frios.

Para garantir sua durabilidade, a madeira deve ser certificada e ter recebido tratamento para não se degradar em pouco tempo. É de fácil manutenção, mas deve-se ter cuidado para não deixá-lo úmido. Não é indicado para lavanderias, banheiros e cozinhas.

Cimento

Os pisos de cimento queimado estão em alta. Inicialmente usados na zona rural, eles invadiram os espaços urbanos. Indicam modernidade e dão personalidade ao ambiente, deixando-o rústico. É perfeito para áreas externas, de lazer.

Seu custo é baixo, mas, como desvantagem, são mais quebradiços e, por isso, menos duráveis. Quando não é bem aplicado, as fissuras podem aparecer logo. A aplicação de resina com base acrílica pode prolongar seu tempo de vida.

Esses são apenas alguns dos diferentes tipos de piso. Há ainda cerâmica, granito, as pastilhas de vidro, entre outros. Não é necessário escolher um só. O melhor é definir o piso certo para cada ambiente e criar os limites de cada tipo a partir das portas.

Para definir o piso do seu próximo projeto, não deixe também de pesquisar as tendências do mercado. Eventos como a Casa Cor, por exemplo, são bons pontos de partida para se inspirar. Venha conferir os pisos que foram destaque na edição de São Paulo esse ano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *