Renzo Piano: inspire-se com a obra do arquiteto!

61310-renzo-piano-inspirese-com-a-obra-do-arquiteto

Todas as ciências, profissões e expressões artísticas têm seus mestres e os seus gênios. Com a arquitetura, isso não é diferente: entre os tantos arquitetos que marcaram a história com suas obras, sempre existem aqueles que mais nos inspiram.

E se você está procurando por inspiração, veio ao lugar certo! No post de hoje, apresentamos um dos grandes exponentes da arquitetura moderna: Renzo Piano. Acompanhe!

A origem do mestre

Renzo Piano vem de uma família com tradição de construtores, mas decidiu seguir o caminho da arquitetura. Em 1964, aos 27 anos, formou-se na Escola de Arquitetura do Instituto Politécnico de Milão.

Já nessa época, ele pôde visitar regularmente as obras que seu pai coordenava sob a orientação do renomado arquiteto italiano Franco Albini. Depois, entre 1965 e 1970, fez viagens de estudo na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.

Outro fato importante de sua trajetória é a parceria com o engenheiro Peter Rice. Os dois fundaram uma agência e um ateliê com o nome “Piano & Rice” e trabalharam junto até 1992, ano de falecimento de Peter Rice.

Obras e marcos da arquitetura

Para apreciar as obras de Renzo Piano, é necessário entender sua forma de ver o mundo.

Uma de suas principais características é justamente não ter um estilo pré-definido: o arquiteto acredita que isso é uma “armadilha” e prefere aplicar elementos coerentes, como o ar e a luz, de formas variadas. Provavelmente o único traço estético recorrente é a impressão de gravidade zero em seus edifícios, como se estivessem flutuando sobre o ar.

Para Renzo Piano, os edifícios levantam-se acima do solo para permitir que a luz venha por baixo e por dentro, de forma que a vida na cidade se una com a vida no edifício. Ainda segundo o arquiteto, suas obras estão mais próximas de uma “harmonia refinada do que um exibicionismo virtuoso”: Renzo considerava que o arquiteto é, antes de tudo, um construtor.

Centro Georges Pompidou (Paris, França)

Essa não é apenas uma das mais grandiosas obras de Renzo, mas também uma das mais famosas construções da arquitetura contemporânea.

O edifício foi construído em 1977 em parceria com Richard Rogers. O projeto foi selecionado em uma competição organizada pelo então presidente da França, George Pompidou, que queria construir um centro cultural que se tornasse monumento em Paris.

Os dois ainda não eram conhecidos na época e, apesar de ser considerado hoje um sucesso absoluto, a reação ao estilo arquitetônico do Pompidou foi muito negativa.

O Pompidou possui uma estrutura considerada pós-moderna, high tech e brutalista. Piano e Rogers optaram por aproveitar todas as possibilidades da tecnologia para elaborar uma edificação moderna e espaçosa.

O estranhamento do público na ocasião da inauguração do local provavelmente se deve à externalização da estrutura, já que o exoesqueleto da estrutura faz parte do componente estético da obra.

Aeroporto Internacional Kansai (Osaka, Japão)

O projeto do Aeroporto de Kansai, no Japão, rendeu a Renzo Piano o prêmio Pritzker de 1998.

Revolucionário e surpreendente, o projeto constitui-se em um aeroporto flutuante sobre uma ilha artificial concluída em 1987. Toda a estrutura foi construída para resistir a terremotos, o que realmente aconteceu anos depois da construção.

O Aeroporto Internacional de Kansai é considerado marco na união entre tecnologia, matemática, criatividade e ousadia.

Edifício do Jornal The New York Times (Nova York, EUA)

Esse edifício projetado por Renzo Piano constitui-se em uma torre com 52 andares e 228 metros de altura.

Piano dedicou-se aos princípios da sustentabilidade para elaborar o projeto deste que é um dos maiores arranha-céus do mundo. O prédio circula todo o quarteirão entre as 40ª e 41ª avenidas, e a fachada principal é voltada para a 8ª avenida. Portanto, o edifício está localizado em um dos principais endereços de Nova York.

Renzo tentou desafiar a sensação de segurança, conferindo transparência e clareza ao projeto e a livre circulação das pessoas enfatiza essa ideia.

Como você viu, Renzo Piano é referência da arquitetura pós-moderna e uma das mentes brilhantes de nosso século. Sua marca está em diversos edifícios distribuídos pelo mundo e serve de referência para milhares de arquitetos.

Agora que você já se inspirou com os trabalhos de Renzo Piano, que tal aproveitar para saber mais sobre o movimento da arquitetura brutalista? Nos vemos no próximo post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *