Como abrir meu próprio escritório de arquitetura?

133985-como-abrir-um-escritorio-de-arquitetura-proprio

Domínio da área e uma vontade de ter seu próprio escritório de arquitetura: de repente, você descobre que tem esses dois componentes e decide dar o primeiro passo para realizar o seu desejo. Porém, o pouco conhecimento sobre empreendedorismo, especialmente sobre o processo de abertura de uma empresa, se mostra um possível obstáculo. O que fazer, então?

Para ajudar você a começar seu negócio com o pé direito, separamos aqui alguns fatores para ficar atento na hora de dar esse importante passo na carreira!

Custos básicos

Cabe ressaltar que não é possível informar com precisão uma quantia inicial necessária para abrir a sua empresa, tampouco os custos fixos que virão depois. O motivo é simples: esse fator depende muito dos seus desejos para o negócio.

No entanto, existem alguns investimentos indispensáveis seja qual for o seu desejo. São eles:

  • materiais de escritório;
  • aluguel e/ou outros gastos com o espaço;
  • comunicação/divulgação;
  • capital de giro;
  • softwares.

Escolha da localização

Não tem outro jeito, você precisa de um espaço para receber os clientes. Pode ser uma peça adicional que fica no pátio de casa? Pode, ainda mais se uma entrada independente estiver disponível. No entanto, é provável que o local precise de algumas adaptações.

Há também a possibilidade de alugar ou comprar um espaço. Nesses casos, o investimento costuma ser maior, ou seja, tudo depende dos seus desejos para essa nova empreitada.

Estrutura básica inicial

Ao abrir o seu escritório, o primeiro passo é providenciar tudo aquilo que é indispensável para a rotina de trabalho. Seguindo essa linha de pensamento, pode-se dizer que não pode faltar:

  • mobiliário (mesa e cadeira);
  • impressora;
  • aparelho de telefone;
  • conexão com internet;
  • computador;
  • softwares (versões básicas do SketchUp e AutoCad).

Com o tempo, a demanda de trabalho aumenta e você pode ir investindo em uma estrutura melhor, bem como em um espaço físico maior — se for o seu desejo.

A importância da divulgação

Você já deve saber: não adianta ser o melhor profissional, ter um escritório todo montado e não mostrar ao mundo a existência da sua nova empresa. É aí que entra o marketing!

Avisar familiares, amigos e clientes antigos até funciona, mas nada se compara ao resultado conquistado através da divulgação. Uma boa forma de começar a sua é criando um site, blog e mídias sociais do escritório. Além, é claro, dos tradicionais cartões de visita.

Com essas ferramentas fica muito mais simples mostrar às pessoas o seu trabalho, bem como construir relacionamentos com possíveis clientes. Encare tudo isso como um portfólio e lembre-se que o escritório de arquitetura é muito mais que um espaço físico.

Questões legais ao abrir um escritório de arquitetura

Aqui tudo começa com a formalização, isto é, com o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica — conhecido popularmente como CNPJ. A partir disso vem a tributação, emissão de notas, prestação de contas, entre outras obrigações legais.

Vale a pena contar com um contador nessa fase inicial, pois ele saberá conduzir melhor as etapas. O Sebrae também oferece um auxílio interessante para quem está abrindo o próprio negócio.

Se você está se questionando acerca da burocracia e da real necessidade de enfrentá-la, a dica é: dê uma olhada na legislação e leve os aspectos legais a sério. Além de gerar multas, desconsiderar essa etapa pode fazer com que muitos negócios importantes sejam perdidos.

Seja individual ou em sociedade, abrir um escritório de arquitetura, embora represente a realização de um sonho profissional, não é um processo simples. E é nesse sentido que surge a necessidade de conhecer as etapas antes de dar o primeiro passo. Afinal, quando estamos preparados o caminho é mais tranquilo!

E você, está pensando em abrir o seu escritório? Conte seus planos pra gente aqui nos comentários!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *