Mármore Carrara: conheça esse estilo e como utilizar com elegância

153670-marmore-carrara-conheca-esse-estilo-e-como-utilizar-com-elegancia (1)

Você sabe que existe uma pedra linda, com uma enorme carga histórica, que pode transformar os seus projetos arquitetônicos em obras primas dignas da Antiguidade clássica? Também chamado de Bianco Carrara, o Mármore Carrara transforma os locais onde é incorporado.

De cor branca, com veios cinza cuja intensidade e padrão podem variar dependendo do tipo, transfere leveza e elegância ao ambiente.

Além disso, é uma das pedras naturais mais versáteis disponíveis hoje, podendo ser utilizada no formato de pastilhas ou em peças grandes, personalizadas para o tamanho desejado. Também pode ser esculpido e compor objetos de decoração.

Perfeito tanto para ambientes residenciais como comerciais, entender a sua história e o seu uso é fundamental para todo bom arquiteto. Para descobrir tudo a respeito dessa pedra impressionante, acompanhe o post que preparamos para você!

Mármore Carrara: suas origens

O Mármore Carrara tem origem na cidade italiana de mesmo nome, na região da Toscana, e é utilizado desde a Antiguidade. Foi a matéria prima na qual Michelangelo esculpiu Davi, entre os anos de 1501 e 1504, uma obra de cerca de 5 metros de altura feita num único bloco de pedra.

Michelangelo tinha o costume de ir a Carrara selecionar ele próprio o mármore com o qual iria trabalhar. Segundo a história de suas viagens, ele possuía um projeto para esculpir diretamente no mármore da montanha uma obra que pudesse ser vista desde o porto da cidade. Infelizmente, ele nunca realizou o seu desejo.

Além disso, esta pedra foi utilizada na composição do Panteão, em Roma. Estima-se que a estrutura arquitetônica que conhecemos hoje foi construída no ano de 114 d.C., sendo a segunda reconstrução do prédio demolido durante as guerras. Considerado um dos primeiros edifícios da Antiguidade feito para impressionar mais por dentro do que por fora, o seu interior é inteiramente decorado com diversos tipos de mármore, entre eles, o Carrara.

Hoje, ele é exportado para o mundo todo, e utilizado na decoração de ambientes que buscam um aspecto clássico e elegante. A cidade de Carrara se tornou um polo italiano de extração de mármore, onde é possível fazer visitas guiadas às minas e visitar o Cava Museo (“Museu das escavações”).

Siga a leitura para entender as particularidades do mármore Carrara e como utilizá-lo em seus projetos.

Tipos e cores do mármore Carrara

O mármore em geral é uma rocha considerada metamórfica, ou seja, que sofreu alterações em função da ação de altas temperaturas e pressão elevada, bem como em função de impurezas minerais, como a argila e a areia. Isso significa que, em cada parte do mundo, o mármore terá um aspecto diferente e detalhes específicos.

A extração do mármore também é feita a partir da aplicação de altas temperaturas e pressão, embora esta metodologia não altere a aparência original da placa retirada. Ou seja, toda a beleza do mármore está nos desenhos naturais que se formam através da interação entre os elementos da terra.

Atualmente, existem diversos modelos de mármore disponíveis no mercado. No entanto, por mais que existam pedras similares, o mármore Carrara existe apenas na região italiana de mesmo nome, dotado das características que lhes são próprias.

Os tipos de mármore Carrara são classificados de acordo com a tonalidade do branco — quanto maior a sua pureza, maior é o seu valor de mercado — e a concentração de veios, que podem ser mais espaçados de forma geral ou concentrados em alguns pontos da pedra.

É curioso notar que, conforme as escavações vão atingindo camadas mais profundas do terreno, maior é a quantidade de impurezas que maculam o branco da pedra. Sorte para nós que vemos a extrema beleza nos padrões acinzentados que a natureza desenha nos blocos.

Os modelos mais populares são:

Mármore Branco Carrara

Também conhecido como mármore Carrara Tipo C, é o modelo mais utilizado. Possui um fundo branco não tão puro e veios mais claros, oferecendo um contraste menos acentuado.

Seu valor de mercado é mais acessível, embora o mármore Carrara como um todo seja de alto padrão e custo, devido ao fato de ser importado da Itália. Apesar disso, dentre as pedras importadas é uma das mais em conta.

Mármore Branco Carrara Gióia

Esta pedra possui um fundo mais puro, bastante branco, em alto contraste com veios em tons de cinza escuro. Por suas características é considerado mais nobre que a de Tipo C e possui um valor elevado.

O Gióia possui, ainda, variações internas. Dentre as mais conhecidas está o Gióia Venatino, que oferece um padrão de veios diferenciado.

Mármores parecidos com o Carrara

Das pedras mais parecidas com o Carrara, quase todas custam mais caro por diversos fatores. Por isso, este mármore apresenta um dos melhores custo-benefício. A seguir, acompanhe a lista das pedras similares ao Carrara e as suas particularidades:

  • Mármore Piguês — de origem grega, também possui um fundo branco com veios acinzentados, mas mais espaçados;
  • Mármore Estatuário (ou Statuario) — similar no padrão dos veios, é de um branco mais puro, o que aumenta o seu preço;
  • Mármore Calacata — apresenta veios em cor dourada, com gradação até o âmbar;
  • Mármore Carrarinha — é a versão nacional do mármore Carrara, essencialmente mais barato por não ser originado na Itália. Embora tenha fundo branco e veios acinzentados, eles aparecem num padrão bastante comum e um pouco similares com o granito em algumas partes.
Diferenças entre o mármore e o granito

Engana-se quem pensa que a diferença entre o mármore e o granito se dá pelo preço. Dependendo do material escolhido, os granitos podem ter um custo tão elevado quanto o do mármore.

A sua diferença primordial está na porosidade, que é muito menor no granito, conferindo-lhe mais resistência às manchas e à ação do tempo. O granito pode ser utilizado em áreas de grande circulação ou de uso intenso.

Por causa dessa característica, também, o granito é mais recomentado para bancadas de cozinha e churrasqueira, uma vez que a sua superfície resiste melhor a objetos pontiagudos e ao fio de facas.

Além disso, a aparência do granito é diferente em relação aos veios, que aparecem de forma mais pontilhada, quase como uma textura, enquanto que no mármore eles são longilíneos, lembrando mais um desenho.

Acabamentos para o mármore

Tão importante quanto o modelo da pedra é o tipo de acabamento dado a ela. Para além da estética, o acabamento do mármore pode conferir maior ou menor resistência, e interferir em aspectos relacionados à segurança, determinando o seu uso. Acompanhe os principais tipos de acabamento:

  • Bruto: como o próprio nome diz, é a pedra no estado em que foi encontrada. Possui um aspecto quase rústico e em hipótese nenhuma deve ser exposta em ambientes externos, receber água ou permanecer suja por muito tempo;
  • Levigado: a pedra é lixada, porém sem nenhum acabamento que lhe dê brilho;
  • Polido: a pedra é lixada e polida para ficar bem lisa e com brilho. Recomenda-se o seu uso em áreas internas e pode ser bastante escorregadia;
  • Jateado: o mármore recebe areia em pressão elevada, ficando com aspecto áspero, mas protegida para ser usada em áreas externas;
  •  Flameado: através do fogo, a pedra adquire um aspecto rugoso e também fica protegida para o uso externo;
  • Apicoado: esse processo deixa a pedra cheia de vincos pequenos que evitam que ela se torne escorregadia. Recomendado para garantir a segurança de escadas e saídas de banho.

 Como usar o Mármore Carrara

Antes de mais nada, você deve ter em mente que o mármore Carrara precisa estar integrado ao estilo do ambiente como um todo. Embora ele confira elegância aos espaços, evite utilizá-lo combinado com estilos de decoração que não dialogam com a sua imponência, pois ele competirá pela atenção.

Na maioria das vezes, ele é aplicado com acabamento polido, e busca-se usar peças inteiras, minimizando as junções e quebras no seu padrão. Bordas em meia esquadria dão a impressão de continuidade e podem ser aliadas para o caso de bancadas ou escadas.

Na contramão desta forma clássica de utilização está o mármore em pastilhas de dois centímetros, que confere um aspecto moderno ao ambiente, sem perder a sofisticação do material.

Privilegie ambientes internos

Mesmo o Panteão não utiliza o mármore Carrara na sua parte externa, sendo revestido de granito egípcio. Isso porque este mármore é bastante poroso, e pode sofrer danos provocados pela exposição prolongada às oscilações do clima.

Da mesma maneira, em ambientes internos, evite utilizá-lo em bancadas de cozinha ou churrasqueira onde haverá manipulação intensa de insumos. A gordura dos alimentos e os respingos de óleo podem manchar a pedra irremediavelmente, e os objetos cortantes e pontiagudos podem marcar a sua superfície.

Utilize-o para pisos

Placas grandes, de 1,20 metros, dão amplitude aos ambientes. O material ainda pode revestir os rodapés e degraus isolados. Se o ambiente possuir uma escada, ela também pode ser revestida com mármore Carrara, que atua como a protagonista.

Neste último caso, atente para incluir proteção antiderrapante, como manter uma parte do material bruto ou apicoado.

Atente, também, ao tipo de uso que o ambiente terá. Dentro de uma residência, ou em uma sala de reuniões em um escritório, onde não haverá circulação intensa de pessoas, não haverá problemas. No hall de entrada de um edifício, no entanto, recomenda-se o uso de granito.

Destaque as paredes

Para as paredes, recomenda-se a utilização de peças inteiras ou de pastilhas pequenas — duas opções com resultados opostos: enquanto a primeira traz sofisticação clássica, a segunda oferece uma proposta moderna.

Para efeitos isolados, é possível utilizá-lo como revestimento de lareira, ou mesmo da churrasqueira (lembrando a recomendação de não usá-lo como bancada, neste caso). Também pode dar destaque à parede do balcão da cozinha ou ser aplicado na forma de painéis.

Faça bancadas inesquecíveis

Resguardadas as restrições para locais de uso intenso, a aplicação do mármore Carrara a bancadas em banheiros e cozinhas oferece um resultado sofisticado e de simples manutenção, já que requer apenas um pano úmido para limpeza.

Cubas esculpidas diretamente na pedra são ideais para um visual impactante.

Aproveite as características da pedra para criar jogos entre a bancada e os armários. É possível casar o mármore Carrara com madeira escura, reproduzindo um clássico de decoração. Ou, então, combiná-lo com uma cor predominante, como o azul petróleo.

Crie móveis de mármore Carrara

A sua utilização na decoração do ambiente pode ainda contemplar diversos móveis, como mesas de reuniões, mesas de centro, criados-mudos, racks, entre outros.

A versatilidade do mármore permite tanto criar móveis a partir de placas como esculpi-los diretamente na pedra. Claro, cada método contendo impactos particulares no custo de cada item.

Além dos móveis, objetos de decoração esculpidos, como vasos, estátuas, ou, até mesmo, painéis, ajudam a criar um ambiente harmônico na repetição das cores da pedra e do padrão dos veios.

Vantagens e preços

Diversos fatores influenciam no valor do m², que vão desde a taxa de câmbio (uma vez que a pedra é importada) até a confecção das peças. Tamanhos personalizados e projetos sob medida custam mais do que os cortes padrão, já que existe perda de material, nesses casos, que dificilmente pode ser reaproveitado.

Em geral, o custo médio do Mármore Branco Carrara fica em torno de R$ 900,00/m², e do Mármore Branco Carrara Gióia de R$ 1.000,00/m². Em comparação com tipos similares, como o Calacata e o Estuário — que podem atingir a marca dos R$ 5.000,00/m² — é uma das pedras mais em conta.

A exceção é o mármore Carrarinha, que gira em torno de R$ 350,00/m², por não ser um mármore Carrara original.

Aplicar o mármore Carrara com elegância e sofisticação parece ser simples por causa das suas características próprias. No entanto, o seu bom uso está atrelado a algo muito maior do que apenas o gosto. Está ligado, principalmente, ao conhecimento.

Esta pedra não é apenas um modelo de mármore que está disponível no mercado como tantos outros. É um produto histórico que carrega consigo bem mais do que um visual limpo e elegante. E, portanto, deve ser tratado como tal.

Por esse motivo é que o bom arquiteto deve conhecer a fundo a sua história e as suas características, e usá-lo com o devido respeito.

Depois de saber tudo isso, dá muita vontade de adotar o mármore Carrara nos próximos projetos, não é? Não perca tempo, entre em contato conosco para começar a utilizá-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *